Our Shared Shelf — sobre Emma Watson e a importância dos Clubes de Leitura

O “Clube do Livro Feminista de Emma Watson” já foi mencionado por mim na resenha do livro Persépolis, mas não foi devidamente apresentado. Pois bem, antes de escrever sobre qualquer outro livro selecionado pelo Clube, vou explicar um pouco sobre essa iniciativa e os motivos pelos quais a considero importante.

É do conhecimento de todos que uma adaptação cinematográfica simplesmente não pode abarcar todos os detalhes dos seus livros de origem. Por isso, muitas pessoas que assistiram aos filmes de Harry Potter talvez não saibam que Hermione não era apenas uma “bruxinha inteligente” que ajudava o coitado do Harry, mas era, entre outras coisas, uma ativista na luta por liberdade. Ela criou, por exemplo, o Fundo de Apoio à Liberação dos Elfos (F.A.L.E), com o objetivo de acabar com os maus tratos aos quais os elfos domésticos eram submetidos. Fora das telas, a atriz que a interpreta não está muito longe da personagem: como embaixadora da ONU Mulher, Emma Watson tem sido uma representante da luta por direitos, buscando promover melhores oportunidades (sobretudo de educação) para mulheres em todo o mundo.

A ONU pode ser uma organização um tanto quanto controversa (para ser delicada), mas é necessário admitir que algumas de suas ações são valiosas. Em setembro de 2014, Emma lançou a campanha He For She (Eles Por Elas), com o objetivo de fazer o sexo masculino se engajar na luta por igualdade de gênero, deixando claro que esse é um problema ainda presente (inclusive nas sociedades ocidentais), que afeta a todos (independentemente do gênero) e que – ao contrário do que certos grupos fazem parecer – não se trata de dividir, mas de agregar, nem se trata de inverter a ordem social, mas de promover a justiça [ você pode conferir o discurso legendado aqui → https://www.youtube.com/watch?v=CT9-CF3Wpmo].   

Como parte de seu trabalho, Emma já afirmou que precisa pesquisar e ler bastante sobre a condição da mulher ao longo da História e nas diversas sociedades para entender melhor as causas e consequências da desigualdade de gênero. Isso não deve ser nenhum problema para ela, mas é algo que grande parte dos defensores de várias causas falham em fazer. No entanto, isso é de extrema importância: se você pretende defender alguma coisa, você deve conhecê-la.

Com o objetivo de incentivar as pessoas a fazer o mesmo que ela, no início de 2016, Emma criou um Clube do Livro no Goodreads (para quem não conhece, é uma rede social para leitores, similar ao nosso Skoob), chamado “Our Shared Shelf” (algo como “Nossa Estante Compartilhada”). A ideia é que seja escolhido um livro a cada mês ou dois meses, para que as pessoas leiam e discutam tanto online quando pessoalmente (basta dar uma olhada no Goodreads para ver as reuniões marcadas em livrarias, cafés, etc). Às vezes há material extra, como, por exemplo, uma entrevista com a jornalista Gloria Steinem, a autora do primeiro livro escolhido (“My life on the road”, biografia onde mostra seu trabalho como ativista desde os anos 1960) e há até mesmo distribuição de livros por diversas cidades (em parceria com a instituição de caridade The Book Fairies).

As vantagens de um Clube de Leitura são muitas, especialmente quando o objetivo é promover uma causa. Para começar, através deles as pessoas podem entrar em contanto com outras que tenham interesses parecidos. A partir daí, debates podem ser promovidos, o que estimula o pensamento crítico, o respeito e ajuda a desenvolver certo senso de comunidade. No entanto, uma das coisas que pessoalmente acho mais interessante, é o convite para abranger o gosto literário. Para mim, isso se tornou mais notável com o Our Shared Shelf, porque este reúne livros de diversos gêneros, apesar de tratarem basicamente do mesmo tema. Muitas vezes nos fixamos em determinado tipo e esquecemos que outros podem não ser nossos favoritos, porém são importantes para nossa formação humana e intelectual. Vale lembrar também que livros são uma fonte de conhecimento muito mais profunda do que qualquer palestra ou algo do tipo, por isso criar o Our Shared Shelf foi bem mais interessante do que apenas falar sobre o tema.

Se você concorda com os motivos acima elencados e deseja participar do Our Shared Shelf, é só criar uma conta no Goodreads e entrar no grupo, ou apenas começar a ler os livros da lista abaixo (alguns ainda estão sem tradução) e conversar com quem quiser sobre eles:

My life on the road (Gloria Steinem)
All about love: new visions (Bell Hooks)
Persépolis (Marjane Satrapi)
A cor púrpura (Alice Walker)
Como ser mulher (Caitlin Moran)
Metade do céu (Kristof & WuDunn)
Os monólogos da vagina (Eve Ensler)
Mom & Me & Mom (Maya Angelou)
The argonauts (Maggie Nelson)
Hunger makes me a modern girl (Carrie Brownstein)
Mulheres que correm com os lobos (Clarissa P. Estés)
O conto da aia (Margaret Atwood)  

Acompanhe o Clube nas redes sociais:
Facebook ❖ Instagram ❖ Twitter ❖ Skoob

◆ Colunista: Samara de Oliveira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s